julho 16, 2013

Fundação Hospital Amaral Carvalho e Santa Casa de Misericórdia de Jahu firmam contrato de colaboração

Levar alegria e descontração para o ambiente hospitalar. Esse é o papel desempenhado com toda graça e responsabilidade pelos Remédicos do Riso, grupo de voluntários da Entidade Anna Marcelina de Carvalho— Fundação Hospital Amaral Carvalho, que atua no Hospital Amaral Carvalho (HAC) há mais de 10 anos.

A trupe interage com os pacientes do Ambulatório e Enfermaria da Pediatria, do serviço de Transplante de Medula Óssea, nas recepções e corredores do HAC. E o trabalho deles é muito sério: além de contagiar o hospital com sua positividade, o grupo participa de eventos da instituição, como campanhas de doação de sangue, prevenção do câncer e promoção da saúde.


Destacam-se também pela importante participação na campanha coordenada nacionalmente pelo Instituto Ronald McDonald, o McDia Feliz, que arrecada anualmente recursos para manutenção e custeio da Casa Ronald McDonald Jahu, que hospeda crianças e adolescentes em tratamento de câncer no HAC.

Colaboração
   Neste mês, após a assinatura de um contrato de colaboração entre a Fundação Hospital Amaral Carvalho — a quem o grupo responde — e a Santa Casa de Misericórdia de Jahu, os palhaços voluntários passaram a atuar também no hospital geral da cidade.

De acordo com o diretor de Logística e Apoio da Fundação, Eduardo Tadeu Guedes Piragino a instituição concordou prontamente em colaborar com a Santa Casa, que solicitou a atuação do Remédicos em uma ala específica, a Hemodiálise.

O diretor afirma que, ao longo dos anos, ficou claro para a Fundação a importância do trabalho desenvolvido pelo grupo Remédicos do Riso. “Com sua experiência, esses voluntários têm a capacidade de extrair, mesmo que por breves momentos, a dor da alma e a aflição que recai sobre os pacientes em tratamento. Ao mesmo tempo, envolvem e unem ainda mais os profissionais multidisciplinares.”

Por isso, a atuação dos Remédicos do Riso em parceria com os profissionais da Santa Casa, conforme esclarece Piragino, irá trazer benefícios reais ao humor dos pacientes, conforto emocional em sua difícil convivência com a doença crônica renal e alívio em sua rotina obrigatória de tratamento, tão bem prestado pela equipe do hospital geral.

Hemodiálise
   A assistente social da Santa Casa, Márcia Maria Camile afirma que a instituição mantém um grupo multidisciplinar — formado por assistentes sociais, terapeuta ocupacional, fonoaudióloga, nutricionista e profissionais de comunicação e da Ouvidoria do hospital — que elaboram projetos de melhorias. Um desses projetos envolve o Remédicos do Riso. “Começamos um trabalho de humanização no setor de Hemodiálise. Queremos trazer conforto ao paciente, tornar o ambiente mais descontraído, mais leve.”

A princípio, as atuações serão apenas neste setor, semanalmente. Mas a profissional enfatiza que futuramente, pode se estender a outros departamentos.

Márcia relata que os pacientes da Hemodiálise são crônicos, ou seja, que necessitam de tratamento prolongado. “Mensalmente atendemos cerca de 120 pessoas na unidade. Elas fazem tratamento três vezes por semana e cada sessão dura cerca de quatro horas. É um processo muito massante para os pacientes”, conta.

 Para um dos coordenadores do Remédicos do Riso, Rogério Fabre, a presença do palhaço no ambiente hospitalar faz com que, pelo menos por alguns instantes, a doença seja esquecida e o lado saudável do paciente venha à tona. “Consequentemente, o doente recebe melhor o tratamento e se sente bem.”

Lúdico

   “Muitas vezes a criança interior do doente está ferida e precisa de cuidados”, salienta Marcia. A profissional enfatiza que o projeto visa estimular nos pacientes o lúdico, a vontade de levar a vida mais tranquilamente, com mais alegria. E Rogério complementa: “O palhaço do Remédicos do Riso não lida com a doença do paciente, mas com a criança, o adulto ou o idoso que, em virtude do tratamento ao qual está sendo submetido, esqueceu o lado feliz da vida.”

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...